Dr. Alexandre Sousa - Cadiologia

Notícias

A quem se direciona a dieta pobre em potássio?

Autor: Dr. Alexandre Sousa
Data: 27/01/2016

Dr Alexandre Sousa - Blog - A quem se direciona a dieta pobre em potássio

O potássio é fundamental para o organismo e seu consumo deve ser estimulado, ele está presente em diversas frutas e vegetais. Entretanto pessoas com comprometimento da função renal devem limitar o seu consumo.

Quando os rins funcionam perfeitamente, o controle do potássio na corrente sanguínea é mantido estável continuamente. A manutenção destes níveis de potássio é fundamental para o funcionamento das células de todo o corpo, mas principalmente das células nervosas e cardíacas, pois flutuações nos níveis de potássio, para cima ou para baixo, expõem o coração a arritmias e os nervos a neuropatias ou até mesmo paralisias.

Nas pessoas com disfunção renal, o que significa perda da função do órgão na sua principal função que é a filtragem do sangue, ela perde também a capacidade de retirar o potássio do sangue, limitando a velocidade da normalização do potássio no sangue quando ocorrem grandes ingestas de alimentos ricos em potássio.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, anualmente mais de 20 mil brasileiros fazem diálise e mais de cinco mil pessoas recebem um transplante renal. A presença de outras condições como a hipertensão arterial sistêmica também pode colocar em risco a saúde do seu rim1.

Pessoas com insuficiência renal crônica, como os em diálise, ou mesmo aqueles com disfunção moderada ainda sem diálise devem fazer controle do consumo de potássio. A dosagem no sangue de potássio deve ser utilizada periodicamente nas pessoas com doença renal moderada, e quando sinais de elevação também devem ser monitorados.

Algumas medicações também podem levar a elevação de potássio pelos seus mecanismos de ação e merecem este controle também como é o caso dos seguintes: anti-inflamatórios não esteroidais, antagonistas dos receptores da angiotensina II, betabloqueadores, diuréticos poupadores de potássio, inibidores da enzima conversora de angiotensina, digoxina, suplementos de potássio e o trimetoprim2.

1 – Acessado em 30 de 12 de 2015 – http://sbn.org.br/publico/institucional/compreendendo-o-rim/

2 – Rocha PN. Hyperkalemia. J. Bras. Nefrol. 2009;31(1):5-5

Desejo receber mais informações no meu e-mail

Summer Comunicação Integrada